top of page

Valid compra FlexDoc


A Valid, companhia que está entre as maiores de identificação de segurança, anunciou a aquisição da FlexDoc, brasiliense especializada em onboarding digital, por um valor que deve ultrapassar R$ 40 milhões. A transação será composta de três parcelas. No ato da assinatura do contrato, serão pagos R$ 20 milhões. Depois, haverá uma parcela adicional de até R$ 20 milhões, a depender da lucratividade da empresa em 2023 e 2024. Já o terceiro pagamento corresponderá a 80% do lucro líquido alcançado pela FlexDoc ao longo dos próximos quatro anos. Só no primeiro trimestre deste ano, a IDtech registrou lucratividade de R$ 2,4 milhões. Se a empresa continuar nesse ritmo, o valor da terceira parcela pode ultrapassar os R$ 30 milhões. A Flexdoc atua no mercado de processamento de transações por imagem desde 2003, muito antes da grande onda dos bancos digitais, um fenômeno dos últimos anos. Hoje, a empresa oferece produtos e serviços que vão desde o fornecimento de APIs para extração de dados até a terceirização de processos de negócios (BPO, na sigla em inglês), incluindo a plataforma de automação de onboarding e backoffice digital, análise de fraude, infraestrutura e serviços. Todos os dias, a plataforma bancária da Flexdoc realiza 300 mil aberturas, conferência e autenticação de contas digitais para instituições financeiras como Caixa, Banco BV, Banco de Brasília, Banrisul, Banpará e Banco do Nordeste. Na operação voltada ao auxílio emergencial pago pelo Governo Federal durante a pandemia, por exemplo, a empresa fez mais de 50 milhões de onboardings. A companhia também atua em setores como seguros, saúde, varejo e governos. Outros clientes que compõem a lista são IBM, Poupex, Universidade do Estado do Pará e Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Com dois sites de Data-Entry, a Flexdoc tem uma base de dados com mais de 500 milhões de documentos gerenciados. São 8 mil usuários acessando o sistema diariamente, mais de 25 milhões de dossiês de abertura de contas processados nos últimos 24 meses e 40 milhões de cheques processados nos últimos 12 meses. No primeiro trimestre de 2023, a empresa faturou R$ 7,8 milhões e apresentou EBITDA de R$ 3,6 milhões. Segundo Ilson Bressan, diretor comercial da unidade de negócios Valid ID, a aquisição visa ampliar o portfólio de soluções em ID Digital no ambiente de clientes públicos e privados, além do potencial de cross-selling com a base de clientes do mercado financeiro e bancário. “Dessa forma, corroboramos o nosso objetivo de entregar soluções seguras com inovação e tecnologia avançada para oferecer um mundo mais confiável, seguro e digital. Além disso, está alinhada com o objetivo de buscar aquisições cuja maior parte do valor seja paga com a própria geração de negócios da companhia adquirida", explica Bressan. A previsão é que as soluções de onboarding da Valid, combinadas, passem a faturar aproximadamente R$ 100 milhões por ano. A aquisição da FlexDoc foi feita por meio da Valid Ventures, Corporate Venture Capital (CVC) da companhia, lançada em 2022 com a estimativa de investir até R$ 300 milhões em startups. O foco é em empresas de três setores: digitalização de governo, onboarding digital/antifraude e inteligência artificial. O primeiro aporte, com valor não revelado, foi realizado no ano passado na Vsoft, paraibana especializada na identificação de pessoas e certificação de processos, em troca de 10% na IDtech. Fundada em 1957, a Valid possui sede em São Paulo e oferece soluções de meios de pagamento, conectividade e identificação. Só no primeiro trimestre deste ano, a empresa teve lucro líquido de R$ 65 milhões. A companhia possui cerca de 4 mil funcionários em 15 países, sendo a maior na emissão de documentos de identificação no Brasil, sexta maior produtora de SIM Cards do mundo e está entre as 10 maiores fabricantes de cartões bancários do planeta.



3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page