top of page

Os setores mais promissores para comprar empresas


Obtenção de ganhos de escala, diversificação de geografias, público e produtos, oportunidade de rápida expansão, consolidação de mercado. São várias as razões que motivam a compra de uma empresa. Contudo, há setores econômicos em que essas oportunidades mostram-se ainda mais atraentes. Neste artigo, elencamos alguns setores que merecem atenção especial dos potenciais investidores.

Software e serviços de TI

O mercado de fusões e aquisições no Brasil registrou o total de 359 transações, movimentando R$ 24,4 bilhões, no primeiro trimestre de 2023, segundo a plataforma TTR Data. Desse total, o setor mais ativo no período foi o de Internet, Software & IT Services, que registrou um total de 80 transações. O segundo lugar também é da área de tecnologia, referente ao setor de Industry-Specific Software e Business & Professional Support Services, que registrou 48 transações.

Agronegócio

O agronegócio segue em alta nas operações de M&A. Segundo pesquisa realizada pela KPMG, em 2022 ocorreram 117 operações de fusão e aquisição envolvendo o setor. O número representa mais que o dobro de 2021, quando aconteceram 57 transações. As transações domésticas foram a maioria: 75% das negociações envolveram empresas de capital majoritariamente nacional adquirindo, de brasileiros, capital de outras companhias estabelecidas no país. As estrangeiras comprando capital de empresa estabelecida no Brasil representaram 24% das negociações. Houve ainda o percentual de 1% de brasileiras adquirindo capital de companhias estabelecidas no exterior.

Saúde

Após a efervescência dos últimos anos, as aquisições no setor de saúde continuam promissoras, mas devem ter um ano mais comedido em 2023. Para o ano as atenções nos próximos anos estarão voltadas para a consolidação do que foi comprado, com a captura de sinergias. Em 2022, as empresas do setor realizaram 53 operações de M&A (fusões e aquisições, em inglês) no Brasil, segundo dados da KPMG.

Fintechs

No primeiro trimestre do ano ocorreram 91 rodadas de investimento em startups, representando uma injeção de US$ 247,2 milhões, segundo a plataforma Distrito. O volume representa uma queda de 86% na comparação com o mesmo período do ano anterior, quando houve 306 rodadas e US$ 1,7 bilhão em investimentos. Mesmo com o movimento de capital de risco do mercado brasileiro, as fintechs continuam sendo o principal setor a receber o maior volume de recursos - US$ 112 milhões - e com o maior número de rodadas - 28.

As operações de fusão e aquisição de empresas são processos complexos e que demandam conhecimento profundo desse mercado. Contar com o apoio de uma assessoria especializada, desde o início até o fechamento do negócio, o ajudar á a evitar armadilhas comuns, minimizar riscos e maximizar os ganhos dessas transações.

Fonte: portogente.com.br



5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page