Depois de arrematar os data centers da Oi, Piemonte Holding compra data center no Rio de Janeiro


O grupo financeiro Piemonte Holding, a Globo Comunicação e Participações e a Elea Digital, holding de data centers da Piemonte, anunciaram nesta quarta-feira (28) que firmaram um compromisso de compra e venda do data center da Globo localizado nas proximidades do Parque Olímpico, zona oeste do Rio de Janeiro. Antes de ser concluída, a transação passará ainda por aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e por uma fase de execução documental.


Com a nova aquisição, o ecossistema de data centers da Elea Digital aumenta em 25% sua potência de armazenamento de servidores de dados, chegando a 10 MW. Além de Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e Brasília, o Rio de Janeiro agora também passa a fazer parte da federação de data centers da Elea Digital, única no Brasil nos quesitos de presença geográfica e conectividade.


"Com o início da Olimpíadas de Tóquio, não havia um momento melhor do que este para anunciar essa parceria de longo prazo com a Globo. Em 2016, em concomitância com a realização das Olimpíadas do Rio, a Globo investiu em infraestrutura digital de primeira linha, em um data center Tier III pensado para conectar a cidade do Rio ao mundo, e que consideramos como um grande legado olímpico para o Rio e o Brasil. A consolidação desta transação permitirá que a Piemonte Holding continue os investimentos neste centro de dados, ampliando seu espaço físico, potência e conectividade", afirmou o CEO da Piemonte Holding, Alessandro Lombardi.


O valor do negócio não será divulgado pelas partes. Os acordos, além da compra e venda do data center, incluem também um contrato de colocation (espaço para servidores) de longo prazo entre a Elea Digital e a Globo. Em abril, a Globo anunciou que iria 100% do seu data center próprio para produção e distribuição de conteúdo para a nuvem pública do Google Cloud.


À época, o diretor de Estratégia e Tecnologia da Globo, Raymundo Barros, informa ainda que o data center próprio - em função da decisão de ir para a nuvem - seria vendido ao mercado, como aconteceu nesta quarta-feira, 28. O acerto com o Google Cloud também passa pelo uso de soluções de Inteligência Artificial e Machine Learning e abarca soluções de recuperação de desastre, para impedir a perda de qualquer tipo de dado.


Publicado em: www.convergenciadigital.com.br

2 visualizações0 comentário