Comprador secreto oferece bilhões para levar drogarias São Paulo e Pacheco



Os acionistas do Grupo DPSP, dono das drogarias São Paulo e Pacheco, receberam no fim do mês passado uma proposta informal de compra por meio do escritório Nelson Willians. A oferta chama atenção pelo tamanho, mas também pelo mistério em relação ao interessado.

Os advogados da banca que tiveram reuniões com alguns acionistas da companhia não abriram o nome do interessado em desembolsar até R$ 25 bilhões pela rede de farmácias, valor que gerou estranheza no mercado. Sinalizaram apenas que o interesse do dono dessa oferta multibilionária e misteriosa é na aquisição do controle. Nunca antes.

O grupo DPSP pertence à família Carvalho, antigos donos da Drogaria São Paulo, que possui 38%, e à família Barata, dos ex-donos da Pacheco, com 54%. O restante está na mão de fundos minoritários. A família Barata, contudo, sempre demonstrou resistência em se desfazer do negócio, mas nunca uma oferta desse valor – e se for concretizada com esse cifrão – chegou à mesa. Faz sentido.

Um comprador natural do grupo é a americana CVS, dona no Brasil da Onofre, que negociou mais de uma vez a compra do ativo, mas a oferta foi próxima de R$ 6 bilhões.

Procurado, o escritório Nelson Wilians Assessoria Empresarial afirma que “não tem conhecimento dessa operação”. Já o grupo DPSP não respondeu.

Leia mais em colunadobroad.estadao 15/04/2018

#FusõeseAquisições #MA

2 visualizações
Akurat Consultoria Empresarial
Rua Dr. Cesar, 1161 - Conj. 505
Santana- São Paulo - SP

mail: akurat@akurat.com​.br