top of page

Semantix mira mais aquisições




(Bloomberg) -- A Semantix, companhia brasileira de software com foco em dados, viu suas ações caírem 60% desde que abriu o capital no início de agosto, depois de concluir uma fusão com o SPAC Alpha Capital, em meio à derrocada no setor de tecnologia. Com os US$ 127 milhões que levantou no processo, a empresa está de olho em mais aquisições, quer aumentar o número de funcionários e vai abrir um novo escritório nos Estados Unidos, antecipando uma recuperação do setor, disseram o CEO Leonardo Santos e o conselheiro Rafael Steinhauser, em entrevista. A Semantix tem uma equipe olhando para possíveis aquisições que podem oferecer “tecnologias complementares”, disse Santos. A empresa anunciou a compra do provedor de dados brasileiro Zetta Health Analytics por mais de R$ 52 milhões, e outros alvos foram considerados para avaliação. A Semantix é uma empresa de “deep tech”, que fornece software de dados e análises usadas por clientes para recomendações de e-commerce ou empacotar produtos financeiros em potencial. Seus clientes incluem Mercedes Benz, Bradesco, Hospital Care, entre outros. A empresa está contratando no Brasil, México, Colômbia e Chile e planeja aumentar sua força de trabalho para até 1.000 funcionários até o final do ano, de 700 atualmente. Também está expandindo as operações nos Estados Unidos, abrindo um novo escritório em São Francisco antes do final do ano, que se soma a um já existente em Miami. Com quase nenhum gasto em marketing até agora, a empresa começará a investir no aumento do reconhecimento de sua marca. “Estamos crescendo muito rápido com praticamente zero investimento em marketing”, disse Santos. “Queremos gastar mais.” A receita de Software as a Service (SaaS) da empresa cresceu 25% no primeiro semestre do ano e 62% em junho, na comparação anual, segundo os executivos. A Semantix planeja vender duas vezes mais no segundo semestre do que no primeiro, elevando a receita total do ano para até R$ 290 milhões. A empresa registrou uma perda de R$ 86 milhões no primeiro semestre do ano. A Semantix começou a ser negociada publicamente em 3 de agosto, após concluir uma fusão com a Alpha. A Alpha tinha inicialmente anunciado a compra da Semantix no final de novembro, mas a listagem na Nasdaq foi adiada por mudanças regulatórias pela SEC, que levaram os bancos que originalmente faziam parte do negócio a sair da transação, disse Steinhauser. O processo de fusão foi então liderado pela administração da Semantix e da Alpha, envolvendo semanas de idas e vindas com os reguladores. Mesmo com as dificuldades, Steinhauser disse que a equipe da Alpha está interessado na busca de outros veículos SPAC mais adiante. “Nada mudou em relação à nossa tese original, de que os SPACs são bons para empresas que cresceram o suficiente e têm a ambição de ir ao mundo e jogar na primeira liga”, disse Steinhauser. ©2022 Bloomberg L.P.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page