Investimentos em startups brasileiras chegam a US$ 633 milhões em janeiro



O ano de 2021 iniciou otimista para as startups brasileiras. O mês de janeiro fechou com captação recorde em valor arrecadado pelas empresas no período: US$ 633 milhões. O montante é 185% maior que o recorde anterior, de janeiro de 2020, que chegou a US$ 221 milhões - logo antes da economia ser afetada pela crise do coronavírus. Os dados são da empresa de inovação aberta Distrito.


Os investimentos foram subdivididos em 41 rodadas. A maior delas foi captada pelo Nubank, que recebeu um aporte US$ 400 milhões, elevando o valor de mercado da empresa para US$ 25 bilhões e levando-a um passo mais perto do IPO (abertura de ações na bolsa de valores).


"Mesmo descontando este volume, janeiro de 2021 segue na liderança, o que demonstra um forte apetite dos investidores do ecossistema", afirma Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer. "Ao que tudo indica, teremos um ano bastante positivo para o este mercado", completa.


Já entre os estados que mais captaram, o Paraná foi um dos que mais despontou no período, segundo outro estudo da área, o Brazil Startups Activity Report de janeiro de 2021, realizado pela plataforma Sling Hub. Com o aporte captado pela curitibana MadeiraMadeira – que a elevou ao status de unicórnio, o primeiro e único de 2021 até agora – o estado captou um total de R$ 1,08 bilhão através de investidas em nove startups. Acima do Paraná ficou apenas São Paulo, de onde 21 startups captaram R$ 2,34 bilhões.


Já entre os principais setores, as fintechs lideraram os aportes em volume (US$ 411 milhões) e número de investimentos (oito rodadas).


Estágios iniciais, fusões e aquisições em alta

O montante de janeiro também foi significativo em rodadas menores, chamadas de estágios iniciais – anjo, pré-seed, seed e Série A. No total, foram 38 rodadas, totalizando US$ 43 milhões. Segundo o Sling Hub, 14 startups captaram entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões, e oito startups captaram entre R$ 10 e R$ 100 milhões.


Entre as fusões e aquisições, foram 12 negócios fechados no período. Entre os destaques estão novas aquisições feitas por fintechs: Banco Inter (que comprou a startup Meu Acerto), Easynvest (Vérios) e Creditas (BCredi), além da Locaweb, que adquiriu a curitibana ConnectPlug.


Publicado em: www.gazetadopovo.com.br

4 visualizações0 comentário