BTG Pactual compra Kinvo por R$ 72 milhões

Fintech possui mais de 700 mil usuários e soma mais de R$ 100 bilhões em investimentos cadastrados


O BTG Pactual anunciou na noite desta terça-feira (16) a aquisição de 100% do capital social da fintech de investimentos Kinvo. A compra da plataforma de consolidação de investimentos foi fechada em R$ 72 milhões.


“A aquisição representa mais um avanço importante em nossa estratégia de investir em tecnologia para expandir nossas operações de varejo, e reforça nosso compromisso de entregar sempre o melhor serviço aos nossos clientes”, diz Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual.


A aquisição faz parte da estratégia de expansão da empresa no segmento de varejo de investimentos. Com a aquisição do Kinvo, BTG Pactual espera simplificare a jornada de investidores, desde a escolha dos produtos e aplicação de ativos à consolidação e acompanhamento dos investimentos, em uma única plataforma.


“Além disso, vamos permitir que o Kinvo possa acelerar o desenvolvimento de novas funcionalidades e frentes de negócio, criando sinergias não só com o BTG Pactual digital e o BTG Pactual Wealth Management, como também o BTG+”, pontua Marcelo Flora, sócio responsável pelo BTG Pactual digital.


Criada em 2017, o Kinvo possui mais de 700 mil usuários, que somam mais de R$ 100 bilhões em investimentos cadastrados, e apresenta números de acesso de mais de 5 mil usuários por minuto. Nos termos da aquisição, a fintech manterá sua gestão independente, com os mesmos fundadores e sem alterações na equipe.


“Juntos, Kinvo e BTG Pactual vão seguir alinhando e oferecendo inovações para os seus investidores. Essa parceria inaugura grandes novidades que estão surgindo neste ano, mas teremos muito mais pela frente: até abril estamos lançando o Kinvo 2B, que além dos investidores vai atender também consultores e demais participantes do mercado.


Também entraremos em uma fase de interação com o usuário e o uso de Inteligência Artificial e estamos nos preparando para uma nova versão do app, completamente reformulada e com novos recursos”, afirma Moacy Veiga, fundador da fintech.


A conclusão da operação está sujeita à verificação de determinadas condições precedentes, incluindo a obtenção de todas as aprovações regulatórias necessárias, inclusive do Banco Central do Brasil.


Publicado em: itforum.com.br

8 visualizações0 comentário