top of page

Athon compra 13 usinas de energia solar de joint venture da Raízen

A Athon Energia, empresa de energia solar que tem a gestora AZ Quest entre os acionistas, acaba de acertar a compra de 13 usinas fotovoltaicas da Raízen Gera Desenvolvedora, uma joint venture entre a Raízen e o Grupo Gera destinada a projetos de geração distribuída.


O valor do negócio não foi revelado, mas todo o parque adquirido tem capacidade de 50 megawatt-pico (MWp), o que ampliará o potencial da Athon para cerca de 160 MWp. A expectativa é que a geração de energia das 13 usinas alcance aproximadamente 100 mil MWh nos próximos 12 meses. A empresa como um todo estima gerar 300 GW/h em 2024.


"Estamos comprando ativos que têm uma aderência estratégia quase perfeita com o que fazemos: são clientes análogos, que olham o longo prazo e estão focados em fazer uma transição energética saudável", disse o diretor Breno Megale ao Pipeline.


A base de clientes da Athon é formada basicamente por grandes empresas, de segmentos como telecomunicações, saúde e saneamento. Já considerando a aquisição, a companhia está presente em oito estados (Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo) e no Distrito Federal. "Estamos mirando entrar em mais seis, com a construção de novas usinas", afirma o executivo.


Segundo ele, a companhia planeja investir cerca de R$ 1 bilhão em expansões ao longo dos próximos dois anos, de forma orgânica e com outras aquisições. Do lado orgânico,com a construção de novas usinas, há uma estimativa de ampliar a capacidade em 200 MWp. Para os M&As, o potencial de adição é 100 MWp a 150 MWp.


Com pouco mais de cinco anos de operação, a Athon é controlada por um FIP-IE, composto de equity e dívida, cujos maiores acionistas hoje são family offices e pessoas físicas. Em julho, a empresa anunciou que recebeu um aporte de R$ 75 milhões da AZ Quest.


Por André Ítalo Rocha — São Paulo

3 visualizações0 comentário
bottom of page