top of page

Startup, você precisa de conselheiros!

O mundo das startups é conhecido por sua velocidade, inovação e incerteza. Encontrar o caminho para o sucesso em meio a esse ambiente desafiador demanda tempo e muita experiência, com falhas e mudanças de rota. Por esses motivos, os dois primeiros anos das startups são também chamados de “vale da morte”, quando mais de 80% das empresas encerram suas operações. Para conseguir ultrapassar esses momentos mais desafiadores, as companhias bem-sucedidas contam com o auxílio de pessoas que possuem um papel chave na sua estratégia, os conselheiros. 


Existem dois tipos principais de Conselhos, o Conselho Consultivo e o Conselho Administrativo, sendo este último obrigatório para Sociedades Anônimas, as S.A.s,, pela Lei 6.404/76, também chamada de Lei das S.A.s.


Para as empresas limitadas, a maioria das startups, embora não obrigatório por lei, é recomendável a presença ao menos de um Conselho Consultivo formado por advisors, para orientar a equipe da startup na estratégia. Nos dois casos, os conselheiros são parte da Governança Corporativa da empresa, guiando a estratégia a ser operacionalizada pelo corpo executivo da startup. 


Contar com estruturas bem definidas de Conselho traz grandes benefícios, tais como:  

 

1. Experiência de quem aprendeu com seus erros 

Os conselheiros trazem consigo vasta experiência e conhecimento construído ao longo de suas carreiras, com muitos aprendizados gerados por erros cometidos em suas vivências pessoais e profissionais. Muitos deles já passaram pelos desafios e obstáculos que as startups enfrentam, e aprenderam valiosas lições ao longo do caminho. Com a Nova Economia, é cada vez mais comum a existência de conselheiros jovens, com menos de 35 anos, orientando a estratégia de grandes companhias. Apesar da idade, os conselheiros jovens acumulam experiências valiosas e novas visões de mercado e comportamento de consumo de sua geração.  

 

2. Conexões 

Além de sua experiência pessoal, os conselheiros também cultivam uma rede extensa de contatos e conexões, que podem abrir portas para parcerias estratégicas, oportunidades e acesso a recursos que, de outra forma, seriam mais difíceis de alcançar.  

 

3. Visão externa da solução e do mercado 

Os conselheiros fornecem uma perspectiva externa diferente da inicialmente criada pelos fundadores da empresa, oferecendo insights relevantes e desafiando as suposições preexistentes. Essa visão crítica pode ajudar as startups a refinar sua estratégia, identificar áreas de melhoria e tomar decisões mais informadas. 

 

4. Orientação estratégica 

Uma das funções mais importantes dos conselheiros é fornecer orientação estratégica aos fundadores e à equipe da startup. Isso pode incluir a definição de metas de curto e longo prazo, a formulação de planos de negócios e a identificação de oportunidades de crescimento. Com a orientação certa, as startups podem evitar armadilhas comuns e seguir um caminho mais seguro em direção ao sucesso. 


Ao reunir um grupo diversificado de conselheiros, composto por integrantes de diversos setores e idades, as startups podem se beneficiar de uma ampla gama de perspectivas e opiniões. Além disso, a diversidade de pensamento pode levar a uma tomada de decisão mais robusta e inovadora, ajudando as startups a enxergar além de suas próprias limitações e a abraçar novas ideias e abordagens. 


Ao escolher os conselheiros certos e cultivar relacionamentos significativos com eles, as startups podem aumentar consideravelmente suas chances de alcançar seus objetivos e se destacar em um mercado altamente competitivo. 


Fonte: sala da noticia

 

Por: Rafael Kenji Hamada Médico, CEO da FHE Ventures e da Health Angels Venture Builder, fundos de investimento no formato de venture builder, com tese em saúde e educação.

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page