Softplan compra legaltech Projuris


Com faturamento de R$ 50 milhões, startup é a maior compra da companhia catarinense, que espera ultrapassar a marca de meio bilhão em receitas em 2022.

[FLORIANÓPOLIS, 18.01.2022] Redação SC Inova, com informações de agências


A Softplan, desenvolvedora de softwares de gestão para setor público, jurídico e construção civil, anunciou a compra da Projuris, plataforma de Inteligência Legal utilizada por mais de 20 mil profissionais, com sede em Joinville.


Segundo o CEO da Softplan, Eduardo Smith, em entrevista à Exame, esta é a maior aquisição da companhia fundada há 31 anos em Florianópolis e “fará a diferença nos próximos balanços”. A Projuris, que atende corporaçÕes como Cielo, Ford, Rodobens, Samsung e outros 2 mil escritórios de advocacia, fechou 2021 com um faturamento de R$ 50 milhões – em comparação, a Softplan teve receitas de R$ 428 milhões em 2021, um crescimento em torno de 20% frente ao ano anterior.


No início de 2021, a Softplan anunciou a criação de uma diretoria dedicada a fusões e aquisições (M&A), liderada por Guilherme Tossulino, com um caixa de R$ 200 milhões para as operações. É a terceira desde janeiro passado: a primeira foi a compra do controle (51%) da Checklist Fácil, startup nascida em Porto Alegre e que se mudou para Florianópolis; seguida pelo CRM Construtor de Vendas, que agrega funcionalidades à plataforma de construção civil da Softplan, o Sienge. Segundo Tossulino, há outras oportunidades de M&A ainda para este ano.


Com a nova aquisição, a empresa catarinense amplia significativamente seu quadro de colaboradores – no LinkedIn, a Projuris informa ter mais de 270 pessoas na equipe, na Softplan são mais de 2 mil – e deve ultrapassar a marca de meio bilhão em faturamento em 2022.


Para a adquirida, é um passo para se fortalecer como uma das principais empresas de tecnologia jurídica no país. “Estaremos mais fortes participando de um grupo robusto e com totais condições de proporcionar mais soluções inteligentes aos nossos clientes e oportunidades para nossos funcionários”, afirmou à Exame o CEO da Projuris, Sérgio Cochela.


Publicado em: www.scinova.com.br



8 visualizações0 comentário