Proofpoint é vendida por mais de US$ 12 bi, maior valor registrado no setor

Montante supera a compra da Symantec em 2019; após a conclusão do negócio, a Proofpoint se tornará uma empresa privada


A empresa de segurança cibernética Proofpoint anunciou que fechou um acordo definitivo para ser comprada pela Thoma Bravo, empresa de investimento em capital privado com foco no setor de software e serviços habilitados para tecnologia, em uma transação em dinheiro que avalia a Proofpoint em US$ 12,3 bilhões. É o maior valor envolvendo uma empresa de cibersegurança da história, superando a compra da Symantec pela Broadcom por US$ 10,7 bilhões em agosto de 2019.


Sob os termos do acordo, os acionistas da Proofpoint receberão US$ 176 por ação em dinheiro, representando um prêmio de 34% sobre o preço de fechamento das ações da Proofpoint em 23 de abril de 2021, o último dia de negociação completo antes do anúncio da transação, e um prêmio de 36% sobre o preço médio ponderado por volume de três meses das ações da Proofpoint até a mesma data.


Segundo informações, após a conclusão da transação, a Proofpoint se tornará uma empresa privada com a flexibilidade e recursos para continuar fornecendo as soluções de conformidade e segurança cibernética mais eficazes para proteger pessoas e organizações em todo o mundo. Além disso, o Proofpoint se beneficiará dos recursos operacionais.


“O anúncio é uma prova da força da abordagem centrada em pessoas da Proofpoint para segurança cibernética e conformidade e ressalta nosso importante papel na prevenção, defesa e resposta às ameaças de hoje”, disse Gary Steele, presidente e CEO da Proofpoint. “Fizemos grandes avanços na expansão da sofisticação e escala de nossas ofertas e, em 2020, geramos mais de US$ 1 bilhão em receita anual, tornando a Proofpoint a primeira empresa de conformidade e segurança cibernética baseada em SaaS a atingir esse marco. Acreditamos que, como empresa privada, podemos ser ainda mais ágeis com maior flexibilidade para continuar investindo em inovação, construindo nossa posição de liderança e ficando à frente dos agentes de ameaça”, comentou.


Para Steele, a Thoma Bravo é um investidor de software experiente, fornecendo capital e suporte estratégico para organizações de tecnologia, e a parceria irá acelerar o crescimento e a escala da Proofpoint em um ritmo ainda mais rápido. “Este é um novo capítulo empolgante para a Proofpoint, que não teria sido possível sem o trabalho árduo e o compromisso de nossos funcionários com nossos clientes, parceiros e uns com os outros”, observou.


“A Proofpoint alcançou resultados tremendos para clientes em todo o mundo e estamos entusiasmados com a parceria com esta equipe talentosa em um momento em que as organizações precisam de soluções inovadoras para navegar em um ambiente de segurança cibernética cada vez mais traiçoeiro”, disse Seth Boro, sócio-gerente da Thoma Bravo. “A Proofpoint coloca as pessoas no centro de sua estratégia de conformidade e segurança e desempenha um papel vital em ajudar as empresas a proteger seus dados. A abordagem da Thoma Bravo para a criação de valor está enraizada na parceria com a organização na qual investimos e na busca de oportunidades para aprimorar suas operações existentes e construir plataformas de tecnologia que impulsionam um crescimento significativo. A oportunidade da Proofpoint como uma empresa privada é incrivelmente atraente”, salientou.


O Conselho de Administração da Proofpoint aprovou por unanimidade o acordo com a Thoma Bravo e recomenda que os acionistas da Proofpoint votem a favor da transação na Assembleia Especial de Acionistas a ser convocada em conexão com a transação.


O acordo inclui um período de “go-shop” de 45 dias, expirando em 9 de junho de 2021, o que permite que o Conselho e seus assessores iniciem, solicitem e considerem propostas alternativas de aquisição de terceiros. O Conselho terá o direito de rescindir o contrato de fusão para celebrar uma proposta superior sujeito aos termos e condições do contrato de fusão. Não pode haver garantia de que este “go-shop” resultará em uma proposta superior, e a Proofpoint não tem a intenção de divulgar desenvolvimentos com relação ao processo de solicitação, a menos e até que determine que tal divulgação seja apropriada ou de outra forma exigida.


A transação deve ser concluída no terceiro trimestre de 2021, sujeita às condições habituais de fechamento, incluindo a aprovação dos acionistas da Proofpoint e o recebimento de aprovações regulatórias. Após o fechamento da transação, as ações ordinárias da Proofpoint não serão mais listadas em nenhum mercado público. A empresa continuará sediada em Sunnyvale, Califórnia.


Publicado em: inforchannel.com.br

4 visualizações0 comentário