JP Morgan compra 40% do C6 Bank

Segundo o site Bloomberg, a americana poderá deter a totalidade do banco no futuro.

A JPMorgan Chase, americana líder mundial em serviços financeiros e terceira maior empresa do mundo, anunciou hoje a compra de uma participação de 40% no C6 Bank, fintech fundada por ex-sócios do BTG Pactual.

O valor da transação não foi divulgado e ela ainda está sujeita a aprovações regulatórias. De acordo com o site Bloomberg, os termos do acordo prevêem que a americana poderá deter 100% do banco no futuro.

Na negociação, o JP Morgan, o maior banco dos Estados Unidos, atuou como assessor financeiro exclusivo da JP Morgan Chase, enquanto o Credit Suisse assessorou o C6 Bank.

Lançado em 2019, o C6 alcançou a marca de 1 milhão de clientes nos primeiros seis meses de operação, tornando-se um dos bancos digitais com maior crescimento no Brasil. Hoje, são mais de 7 milhões de clientes e aproximadamente 1,6 mil funcionários.

O portfólio da fintech conta com mais de 20 produtos para pessoas físicas e para pequenas e médias empresas, incluindo conta corrente, cartão de débito e crédito, tag gratuita para pagamento de pedágios, conta global multimoeda, plataforma de investimento e crédito.

De acordo com o site NeoFeed, os últimos dados financeiros divulgados pelo banco, relativos ao primeiro semestre de 2020, indicam que ele encerrou o período com um patrimônio líquido de R$ 459,3 milhões e prejuízo de R$ 124,4 milhões. Em dezembro do ano passado, o C6 Bank captou R$ 1,3 bilhão junto a um grupo de 40 investidores privados. Na operação, intermediada pelo Credit Suisse, a empresa chegou a uma avaliação de R$ 11,3 bilhões.


Para Marcelo Kalim, CEO e cofundador do C6 Bank, o investimento da JPMorgan Chase é um divisor de águas na empresa e permitirá acelerar o crescimento do negócio.

“Admiramos a estratégia e a gestão do C6 Bank. Com uma plataforma impressionante de produtos e serviços, eles estão bem posicionados para manter a trajetória de crescimento e construir uma grande franquia. Vamos apoiar a aceleração do crescimento do banco em sua ambição de se tornar um líder em serviços financeiros no Brasil”, afirma Sanoke Viswanathan, CEO de varejo internacional da JPMorgan Chase.

De maneira geral, está chovendo dinheiro nas fintechs brasileiras. No início de junho, a Nubank anunciou um aporte de R$ 750 milhões, a maior parte do dinheiro vindo da Berkshire Hathaway, gestora do megainvestidor americano Warren Buffett.

Uma semana depois, a Ebanx, empresa de processamento de pagamentos que é o único unicórnio surgido na região Sul, captou um aporte de US$ 430 milhões (cerca de R$ 2,1 bilhões) do fundo Advent.

A JPMorgan Chase & Co. é líder mundial em serviços financeiros, com ativos de US$ 3,7 trilhões e operações em todo o mundo com suas marcas J.P. Morgan e Chase.

Presente no Brasil há quase 60 anos, atua nas áreas de investment banking, corporate banking, markets, wholesale payments, private banking e asset management.

O segmento de varejo, com a marca Chase, oferece uma plataforma de produtos bancários para consumidores nos Estados Unidos e tem mais de 55 milhões de clientes ativos digitalmente.


Publicado em: www.baguete.com.br

3 visualizações0 comentário