top of page

HAPVIDA VENDE SÃO FRANCISCO RESGATE POR R$ 150 MILHÕES


A Hapvida informou que assinou um contrato para a venda da São Francisco Resgate, subsidiária integral da companhia, para a ELO Conservação e Manutenção de Infraestrutura. Pelos termos acordados, o enterprise value da transação é de R$ 150 milhões, sujeito a mecanismos de ajustes de preço comuns em transações similares. "A transação contribuirá para que a companhia priorize sua estratégia, especialmente na otimização de seus recursos para verticalização e integração com a Notre Dame Intermédica", diz a companhia em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A conclusão da transação está condicionada ao cumprimento de determinadas condições precedentes, conforme previstas no respectivo contrato, incluindo a aprovação prévia pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A Hapvida informa que a SF Resgate é um dos maiores provedores de Serviços de Emergência Médica do Brasil, operando uma frota com mais de 220 ambulâncias próprias. Atualmente, a SF Resgate possui 16 contratos de operação divididos entre concessões rodoviárias, o maior aeroporto brasileiro (Aeroporto de Guarulhos) e operações industriais. A empresa conta ainda com mais de 200 bases operacionais distribuídas em 165 cidades do país. "As ambulâncias da SF Resgate, objeto desta transação, são de dedicação exclusiva aos contratos mencionados e, portanto, não prestam serviço ao Grupo Hapvida Notre Dame Intermédica.


Até a conclusão da transação, a companhia continuará a conduzir seus negócios normalmente.


Portanto, clientes, fornecedores, colaboradores e demais partes interessadas não devem esperar quaisquer alterações na administração, relações comerciais, fornecimento e oferta de serviços.


A atual transação, em conjunto com as duas captações recentes (Sale & Leaseback e Follow on), está inserida no contexto, já informado pela companhia, de otimização e fortalecimento da sua estrutura de capital bem como maior foco em seu core business", completa.


Por Iabela Moya



1 visualização0 comentário
bottom of page