Fusões e aquisições na área de tecnologia caminham para recorde

Os negócios foram brevemente impactados em 2020 pelo início da pandemia, mas se recuperaram rapidamente no início de 2021, conforme a economia começou a se recuperar

Em 2022, o nível de atividades globais de fusões e aquisições (M&A) envolvendo fornecedores de tecnologia ultrapassará os recordes anteriores registrados em 2018, de acordo com estimativas do Gartner. As aquisições de fornecedores de tecnologia foram brevemente impactadas em 2020 pelo início da pandemia, mas a atividade de M&A rapidamente se recuperou em 2021, conforme a economia começou a se recuperar. “As condições de mercado para fazer negócios continuarão a melhorar à medida que a volatilidade decorrente da Covid-19 diminui”, disse Max Azaham, diretor sênior de Pesquisas do Gartner. “Os CEOs de tecnologia que buscam aquisições devem antecipar o aumento da competição por alvos e tomar medidas para obter vantagens sobre outros adquirentes para ganhar a aceitação do vendedor”, comentou.


A atividade de aquisição foi mais adversamente impactada durante o segundo trimestre de 2020, mas a atividade no quarto trimestre foi maior do que nos últimos dois anos. As aquisições de fornecedores de comunicações lideraram a recuperação no segundo semestre de 2020, seguidas por aquisições de empresas de serviços e software.


As aquisições de fornecedores de tecnologia são atendidas com interesse crescente entre as empresas de serviços financeiros, predominantemente empresas de capital privado.


Ao longo de 2020, as aquisições financeiras de fornecedores de software representaram mais da metade de todas essas aquisições. Apesar de o software já ser a maior categoria, o crescente interesse dos adquirentes financeiros deve impulsionar uma maior atividade em 2021.


Os maiores ganhos de atividades de M&A no segundo semestre de 2020 envolveram a aquisição financeira de provedores de comunicações (crescimento de 93%), e as aquisições de provedores de serviços por adquirentes financeiros foram 30% maiores no quarto trimestre de 2020, em comparação com a média dos dois anos anteriores.


A consolidação de fornecedores com alto grau de sobreposição aumentou em 65% e 40% nos mercados de serviços e software, respectivamente, no segundo semestre ou 2020, em comparação com o número médio de transações de M&A em 2018 e 2019 (transações de mais de US$ 1 bilhão em valor foram excluídos).


Estratégia

Essas tendências de consolidação sugerem que os CEOs de tecnologia devem estar preparados para cenários competitivos onde os principais concorrentes se fundem, especialmente entre os provedores de serviços.


“Em vez de fazer aquisições ou serem adquiridos, os CEOs de tecnologia começarão a considerar parcerias e ecossistemas para nivelar o campo de jogo contra empresas maiores, resultantes da consolidação em seus mercados”, disse Azaham.


O esperado aumento na atividade de M&A ao longo deste ano não pode deixar os clientes existentes para trás. Os adquirentes bem-sucedidos considerarão as implicações para os usuários finais e farão da experiência do cliente (CX) uma prioridade em cada estágio do ciclo de vida de M&A.


Os clientes CIO de fornecedores que estão passando por uma integração esperam interrupções mínimas de serviço e comunicações transparentes sobre alterações de produtos, preços e suporte, se houver. “Sem empatia e um entendimento profundo do que motiva a base de clientes existente, as organizações correm o risco de adquirir uma base de clientes que se agitará após o fechamento do negócio”, observou Azaham.


Publicado em: inforchannel.com.br

15 visualizações0 comentário