Francesa Nemera chega ao Brasil com aquisição da Milfra em Jaguariúna

Especializada na fabricação de dispositivos para administração de medicamentos, empresa aposta em crescer na América Latina

Com fábricas nos Estados Unidos e na Europa, a francesa Nemera chega ao Brasil, de olho no mercado da América Latina. A empresa que desenvolve dispositivos de administração de medicamentos adquiriu a Milfra, em Jaguariúna, SP, visando ampliar a oferta de produtos para a indústria farmacêutica. Com a aquisição, a Nemera passa a produzir também aplicadores vaginais e retais, assim como dosadores orais.

Para Marc Hämel, CEO da Nemera, a aquisição abre novas oportunidades para a empresa não só no Brasil como em toda a América Latina. “Sentimo-nos privilegiados pela oportunidade de integrar uma cultura nova e única à nossa já global companhia. Isso nos permitirá compreender e servir melhor ainda mais pacientes com necessidades diferentes. Apesar da difícil situação sanitária e das restrições para viajar, já estabelecemos uma relação muito boa com a equipe de liderança da Milfra."


Hoje, os produtos da Nemera estão presentes em mais de 54 países em todo o mundo. A empresa tem mais de 2.600 colaboradores em seis unidades de produção e dois centros de inovação na Europa e Estados Unidos. Em 2020, a empresa teve um faturamento de 430 milhões de euros.


Com todos os produtos aprovados pela Anvisa no Brasil, a Nemera vinha exportando para o país e para a América Latina há muitos anos, em parceria com empresas farmacêuticas e de saúde da região. Com a aquisição da Milfra, a oferta de produtos será ampliada, abrindo uma nova frente nas áreas de ginecologia e urologia.


“Além de ampliar a gama de produtos que a Milfra oferece hoje, a Nemera prevê oportunidades de crescimento de longo prazo no Brasil para soluções de dispositivos de administração de medicamentos mais complexos e de maior valor agregado”, diz Roberto Restivo, gerente-geral da nova fábrica no Brasil, que se chamará Nemera Jaguariúna.


Publicado em: exame-com.cdn.ampproject.org

17 visualizações0 comentário