Ford desiste de vender Troller e decreta fim da marca brasileira



Após meses de negociações com pelo menos três empresas interessadas, a Ford desistiu de vender a Troller e também os direitos de produzir o utilitário T4 na fábrica de Horizonte, no Ceará. Com isso, a marca criada no Brasil e adquirida pela montadora norte-americana em 2007 vai acabar. Conforme nota enviada pela Ford para UOL Carros, os ativos da Troller continuam à venda, "incluindo propriedade, instalações, equipamentos e ferramentas. A Ford não venderá a marca Troller nem os direitos do produto, em linha com o que está sendo feito com as fábricas de Taubaté e Camaçari", complementa a montadora. Além disso, em nota enviada aos funcionários da Troller, a Ford informa que a fabricação do T4 prosseguirá até o fim de setembro. Ao mesmo tempo, a produção de peças em Horizonte terá continuidade até o final do mês de novembro, "com o objetivo de garantir a disponibilidade de peças aos clientes", diz a companhia. Nossa reportagem conversou com Maia Júnior, titular da Sedet (Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho) do governo cearense, que acompanhou as tratativas e buscou potenciais compradores. O secretário diz que Rogelio Golfarb, vice-presidente da Ford para a América do Sul, foi quem o comunicou ontem à tarde da decisão de não mais vender a marca Troller e disponibilizar apenas os ativos em Horizonte. "Fui pego de surpresa. De que adianta vender só o maquinário e o terreno, que, aliás, foi doado pelo Estado, se não será possível seguir fabricando o produto?", questiona. De acordo com Maia Júnior, um empresário paraibano já estava com as negociações para a compra encaminhadas e só esperava pela assinatura do contrato, que deveria ter acontecido na semana passada. Com o fechamento da fábrica, cerca de 470 funcionários serão demitidos, salienta. "Esse empresário, inclusive, iria investir mais do que o valor da aquisição para fabricar outros veículos em Horizonte, incluindo pelo menos um carro elétrico, para tornar a operação sustentável. Mesmo assim, previa que os dois primeiros anos seriam de prejuízo". Conforme o secretário, esse empresário está "indignado" com o fato de a Ford ter recuado, alegando seguir ordens da matriz, quando os valores e as condições gerais já estavam alinhados entre as partes. Até então, as negociações eram conduzidas por uma empresa norte-americana especializada em fusões e aquisições, contratada pela Ford. Confira abaixo a nota oficial enviada pela Ford aos funcionários: Comunicado aos Empregados da Troller - Horizonte "Conforme anunciado em 11 de janeiro e seguindo o compromisso de sermos transparentes com nosso time, hoje estamos confirmando o encerramento da produção dos veículos "Troller" até o final de setembro. "A produção de peças terá continuidade até o final do mês de novembro, com o objetivo de garantir a disponibilidade de peças aos clientes da Troller. "Informamos, também, que continuaremos com a venda dos nossos ativos (terreno e máquinas), no entanto a produção dos veículos Troller não terá continuidade. "Já entregamos uma carta ao nosso sindicato, que foi convidado para o início das negociações nesta terça-feira, 10 de agosto. Nenhum desligamento está sendo realizado neste momento e nossa intenção é chegar a um acordo justo e viável, assegurando que a relação de trabalho com a Troller seja encerrada de maneira adequada, garantindo a todos os nossos empregados que seus direitos serão respeitados. "Excepcionalmente, a produção de hoje (9/8) foi encerrada às 15h00 e será retomada normalmente a partir de amanhã (10/8), quando iniciaremos as negociações".


Publicado em: www.uol.com.br

4 visualizações0 comentário