Easynvest compra fintech Vérios e quer chegar a 3 milhões de clientes em um ano


Fernando Miranda, da Easynvest, e Felipe Soutto-Maior, da Vérios


No curto prazo, as operações continuarão separadas. A ideia é que, com a entrada no guarda-chuva da Easynvest — que, por sua vez, pertence ao Nubank — os clientes da Vérios passem a contar com um leque maior de produtos.


Para quem não conhece, a Vérios é uma das fintechs queridinhas dos iniciantes por ajudá-los a montar e monitorar suas carteiras de forma automatizada. Sim, por meio de robôs. Funciona assim: primeiro, o perfil do investidor é traçado e, em seguida, o sistema distribui o dinheiro em até cinco classes de ativos e escolhe automaticamente os ativos.


O passo a passo é bem semelhante ao dos planejadores financeiros. A diferença é que, além de usar inteligência artificial, o sistema faz as alocações. Logo, cabe ao investidor apenas enviar o dinheiro para a corretora — é aí que entra a Easynvest — e todo o resto cabe à Vérios.

"O número de investidores na bolsa deve chegar a 10 milhões em dois anos" Fernando Miranda, presidente da Easynvest

"Estamos discutindo o leque de produtos e novas formas de diversificação", afirma Felipe Sotto-Maior, cofundador da Vérios, que continuará à frente da gestora como gerente, dentro da diretoria de negócios digitais da Easynvest.


Mas não vai ser apenas a Vérios responsável pelo aumento de clientes da corretora. A Easynvest também aposta na concessão de crédito com garantia — produto lançado no fim do ano passado — e na "Netflix dos investimentos". É uma plataforma fora do home broker e que se assemelha ao canal de streaming que permite comprar e vender ativos.

"O número de investidores na bolsa deve chegar a 10 milhões em dois anos", diz Miranda. E a Easynvest quer surfar nessa onda.


Publicado em: www.cnnbrasil.com.br

4 visualizações0 comentário