Descomplica compra UniAmérica e fecha primeira aquisição após aporte de R$ 450 milhões

Atualizado: Jul 13

Edtech Descomplica concluiu a compra do centro universitário, com sede física em Foz do Iguaçu, no Paraná

O Descomplica acaba de anunciar a aquisição da UniAmérica, centro universitário sediado em Foz do Iguaçu, no Paraná. Essa é a primeira compra da edtech após a rodada de R$ 450 milhões que foi levantada em fevereiro deste ano. O negócio marca o primeiro movimento do Descomplica, que tem como objetivo investir cerca de R$ 1 bilhão nos próximos três anos em crescimento orgânico e também por meio de novas aquisições.


Com a negociação fechada, a Faculdade Descomplica, inaugurada em 2020, passa de quatro cursos oferecidos a 22 opções de graduação. Em entrevista a PEGN, Marco Fisbhen, fundador e CEO do Descomplica, e Daniel Pedrino, presidente da Faculdade Descomplica, comentaram a novidade. Segundo Fishben, a aquisição é fruto de um projeto em desenvolvimento dentro da startup, que mantém times focados em possíveis M&As.


“São equipes focadas em encontrar o que há de melhor no mercado para adicionar ao negócio”, diz Fisbhen. Para o CEO, a escolha da UniAmérica se deu em razão do caráter inovador e digital do negócio, além de contar com Ryon Braga à frente da entidade como reitor. “A UniAmérica carrega uma visão disruptiva, tem foco em empregabilidade e visão pedagógica por conta do Ryon Braga, consultor de renome, muito alinhado com o Descomplica”, diz o empreendedor.


Pedrino conta que, com a aquisição, o Descomplica ganha em média 2 mil novos alunos, hoje matriculados no modelo presencial oferecido pela universidade. Mesmo assim, o ambiente online e o foco no ensino à distância mostraram o potencial do acordo entre as duas companhias. “Nossa ideia é que o presencial, aplicado em Foz do Iguaçu, se torne um grande laboratório do que vai acontecer. São duas companhias que buscam a disrupção”, diz Pedrino.


A UniAmérica seguirá com a mesma oferta de cursos presenciais que já possui, assim como o mesmo grupo de coordenadores e professores. Do lado da Faculdade Descomplica, o time permanece o mesmo. Entre os novos cursos que a Faculdade Descomplica passará a oferecer estão Administração, Pedagogia, Recursos Humanos, Gestão de Dados e Computação em Nuvem.


Segundo Pedrino, a startup também tem investido muito na contratação de professores e produção de novos materiais para dar conta de receber novos alunos e atender às demandas das disciplinas. Por isso, diz Fishben, o foco prioritário da startup é encontrar pessoas e possíveis parceiros para essa nova etapa da companhia. “Há um investimento enorme em tecnologia, conteúdo e gestão de toda essa operação. Temos que estar sempre atentos ao sucesso do aluno”, afirma o CEO.


“Sempre que o Descomplica entender que, no nosso contínuo mapeamento, existir uma companhia que agrega e acelera a transformação que nós nos propomos a oferecer, não tenha dúvidas que nós vamos nos interessar. Mas não vamos sair consolidando empresas só para aumentar alunos e receita. Estamos capitalizados e temos clareza de que há oportunidades no caminho”, diz Fishben.


Publicado em: revistapegn.globo.com

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo