top of page

Brasil TecPar compra Blink Telecom por R$ 370 milhões


A holding gaúcha de serviços de internet Brasil TecPar anunciou nessa segunda-feira (25/10) a compra da empresa mineira de acesso à internet Blink Telecom, por R$ 370 milhões. A aquisição da provedora que atende a 150 mil clientes em Minas Gerais foi fechada no início do mês e representa a maior negociação em valores do grupo, além de sua estreia em uma nova região. O negócio envolve 30% do valor em troca de ações e os 70% restantes em dinheiro, informou a empresa. “Com isso, a gente abre o mercado em Minas Gerais, um Estado que já estudávamos há um bom tempo”, disse Gustavo Pozzebon Stock, presidente da Brasil TecPar, em entrevista ao Valor. Segundo o executivo, a holding tem cerca de 100 empresas no radar para futuras aquisições com contratos de confidencialidade assinados. Conforme informou a reportagem do Valor em agosto, os planos de expansão da holding para 2024 e 2025 também passam pela entrada em Santa Catarina, Paraná, Goiás e Espírito Santo. A Blink é o nono negócio fechado pela holding em 2023 e não deve ser o último o ano, sinaliza Stock. As oito aquisições anteriores concretizadas este ano demandaram um total de R$ 220 milhões, informou Stock. Este ano, a Brasil TecPar arrematou as empresas de acesso à internet Usafibra, de Porto Alegre (RS); Zecta, de Cuiabá; Selko, da Chapada dos Guimarães; e Hi Telecom, de Sinop (MT); IVeloz, de Itaquaquecetuba; Cybernet e DZ7, de Guarulhos (SP); e TV Alphaville, de Barueri (SP). Esta última pertencia ao Grupo Silvio Santos, tendo sido a responsável pela infraestrutura do provedor de acesso gratuito de internet discada SBT Online, o SOL, lançado em 1997 e encerrado em 2001. Além dos R$ 590 milhões investidos em aquisições em 2023 até o momento, a empresa injetou outros R$ 30 milhões na infraestrutura de alguns provedores absorvidos este ano, “em infraestrutura de rede para conectar as operações adquiridas e elevar a capacidade de transmissão”, comentou Stock. O suporte às aquisições vem, em parte, de uma captação de R$ 125 milhões fechada em maio por meio de uma emissão de debêntures incentivadas, com autorização do Ministério das Comunicações para ampliar futuramente esse montante até o patamar de R$ 400 milhões. Com a aquisição da Blink, o endividamento líquido da Brasil TecPar corresponde a 2,9 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), informa o presidente da holding. No fim de 2022, a relação entre dívida líquida e Ebitda estava em 2,46 vezes. “A notícia boa é que mesmo com os juros altos e a pandemia, conseguimos fazer aquisições”, comentou Stock. Além de Minas Gerais, a Brasil TecPar atua no Rio Grande do Sul, em São Paulo, no Rio de Janeiro, no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, contando com 447 mil clientes, sendo 30% corporativos e 70% residenciais. A empresa ainda possui um centro de dados em Joinville (SC). A Blink acrescenta cerca de 150 mil clientes e 550 colaboradores à holding, além de uma receita bruta anualizada superior a R$ 180 milhões. Stock destaca que a negociação adiantou para outubro a meta de faturamento anual da Brasil TecPar para R$ 1 bilhão, em 2023, mais do que o dobro da receita de R$ 483 milhões no ano passado. O Ebitda projetado para o ano é de R$ 300 milhões, 66,7% superior ao resultado de R$ 180 milhões, em 2022. “O mercado de internet ainda cresce organicamente e tem margens de lucro acima de 45%, o que é muito lucrativo”, avaliou o executivo. Embora a prioridade seja crescer por aquisições, a Brasil TecPar não desistiu de abrir capital na bolsa. “Neste momento, estamos abertos para uma janela de mercado, mas não é uma estratégia inicial da companhia”, concluiu Stock.


Por Daniela Braun, Valor — São Paulo

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yorumlar


bottom of page