Após prejuízo no 4º tri, Valid prevê retomada com avanço da vacinação

Resultado da empresa de tecnologia para identificação foi impactado pela paralisação na emissão de documentos, como CNH, durante a pandemia


A Valid, empresa de tecnologia para identificação, aposta no avanço da vacinação no país para retomar seu fluxo de negócios, informou o executivo Ivan Murias, em teleconferência com analistas nesta sexta-feira.


No quarto trimestre de 2020, a empresa registrou um prejuízo líquido de R$ 54 milhões, ante lucro de R$ 2,6 milhões um ano antes. A receita líquida de R$ 538,7 milhões recuou 1,8% no período.


O resultado foi impactado principalmente pela paralisação na emissão de documentos, como a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), durante a pandemia. A receita do segmento de identificação caiu 12,6% em um ano para R$ 137,8 milhões, no quarto trimestre de 2020 na comparação com igual período de 2019.


Para recuperar os resultados, em 2021, a Valid tem como prioridade a renegociação de endividamento. “Fizemos uma rolagem de dívida de R$ 30 milhões com Banco Safra para 2021”, disse o diretor financeiro Joel Renó Júnior, durante a teleconferência.

A empresa também renegociou contas a receber e atuou na gestão de estoque para elevar o caixa operacional em 14%, no fim de 2020.


O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 50,4 milhões nos três últimos meses de 2020, e ficou 37,5% abaixo do resultado do 4º trimestre de 2019.


“Apostamos em nossas áreas centrais de negócios”, disse Murias. A divisão de meios de pagamentos representou 50,9% da receita nos três últimos meses de 2020, seguida pela divisão de identificação (25,6%) e de telefonia móvel (23,5%).


Entre os projetos recentes da empresa, por meio da divisão BluPay, está a distribuição de créditos para compra de material escolar na rede municipal de ensino de São Paulo, usando tecnologia blockchain para o rastreamento dos recursos.


Renó diz que a empresa não tem destino certo para aplicar os R$ 99 milhões levantados após uma oferta subsequente de ações. “Podemos fazer aquisições pontuais”, afirmou.

No acumulado de 2020, a Valid reportou um prejuízo líquido de R$ 202,4 milhões, ante lucro líquido de R$ 54,3 milhões um ano antes. A receita líquida de R$ 1,9 bilhão ficou 3,4% abaixo do resultado do ano anterior.


O Ebitda no ano foi de R$ 42,8 milhões, 83,9% abaixo do resultado de 2019. A margem Ebitda foi de 10,4% no período, cinco pontos percentuais abaixo do registrado um ano antes.


Publicado em: valor.globo.com

3 visualizações0 comentário