top of page

Agora a Nasa vem: startup que “traduz” vacas lança equity com ações preferenciais e dividendos


O chão para as startups do agronegócio é vasto de alternativas para busca de soluções. Novidades sempre estão presentes e os resultados inovadores já são objeto de interesse em investidores de equities e despertam plataformas especializadas em empresas emergentes. A inventora de uma coleira que “traduz” vacas, a Cowmed, saiu ao mercado para captar até R$ 5,9 milhões, em negócio estruturado pela Captable. Trata-se de um crowdfunding, investimento de contrato coletivo, em tradução livre, no qual o comprador de cota(s) terá ações preferenciais da empresa com direito a dividendos, a “primeira no Brasil nessa modalidade”, explica, em nota ao Money Times Guilherme Enck, um dos fundadores da plataforma. Dito de outro modo, os aportadores virarão sócios integrais do negócio de coleiras para os animais bovinos fêmeas, que controlam 24 horas por dia emitindo alertas e relatórios sobre comportamento, baseados em variáveis relacionadas à saúde, cio, nutrição e outros indicadores determinantes para o manejo do rebanho. A Captable lembra que nesse modelo de equity, os investidores, portanto, se tornarão sócios assim que a acabar a rodada de emissão, ao contrário da maioria dos outros do mercado no qual os cotistas adquirem notas conversíveis em ações com vencimento em cinco anos. O destaque da casa de investimentos alternativos em startups é a nota de expectativa em relação à captação. A meta é para R$ 4,7 milhões, mas os primeiros sinais, durante a prospecção do negócio, mostraram a possibilidade de over funding, que elevaria o valor a R$ 5,9 milhões, dentro do permitido na Instrução 88 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A aposta na Cowmed é ampliada para o mercado latino-americano e dos Estados Unidos, atingindo a marca de 70 mil fêmeas bovinas monitoradas até final de 2024.


Publicado em: moneytimes.com.br


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page